sexta-feira, 28 de junho de 2013

Flex Mentallo: quadrinhos para o lado direito do cérebro

flex-1
Por Quadrinheiros - via RQ facebook
É difícil mencionar um super-herói ou equipe de peso que não tenha passado pela cabeça de Grant Morrison (e por tabela pelas mãos de Frank Quitely). O escritor escocês já trabalhou com o Batman, Superman, X-Men, Quarteto Fantástico, Liga da Justiça etc. Mas antes de ficar conhecido pelo grande público Morrison trabalhou (e eventualmente volta a trabalhar) com projetos mais autorais.
Doom Patrol, ou Patrulha do Destino foi um desses trabalhos.  Foi com as ideias do careca e  no selo Vertigo que o título ganhou ares de cult e foi lá que Flex Mentallo, O Homem do Músculo Mistério, teve sua primeira aparição para depois ressurgir em sua própria minissérie.
doompatrol01
Flex Mentallo marca a primeira parceria de Grant Morrison e Frank Quitely, lançado originalmente em 1996, a minissérie de 4 edições teve seu relançamento em versão de luxo no ano passado nos EUA e é essa que a Panini lança agora no Brasil.

terça-feira, 25 de junho de 2013

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Batmania! O homem-morcego invade a sétima arte em "Batman in Classic Movie Scenes".

A iniciativa partiu do canal de vídeos PistolShrimps que lançou a divertida série de vídeos " in Classic Movie Scenes". Confira a seguir e divirtam-se:

X-O Manowar #1 chega junto com uma coragem muito bem-vinda!

Lançar quadrinhos no Brasil não é fácil. Por um lado temos um pequeno mercado de livrarias e comic shops, com retorno demorado; e do outro temos as bancas, espalhadas por esse Brasil enorme e com um alto risco para as editoras. Por isso, lançar revistas mensais é um ato de coragem bem grande. Se você reparar bem, só fizeram isso editoras grandes no nosso País ou pequenas que tinham nas mãos um material consagrado, com personagens conhecidos por todos.
Pensa então em uma editora pequena, com poucos lançamentos em banca até hoje, que resolve lançar justamente como revista mensal um ótimo material, mas com uma base pequena de fãs no Brasil? Muita coragem, certo? Pois é justamente isso que a HQMestá fazendo agora, com o chegada de X-O Manowar #1 (HQM Editora, 100 páginas, R$ 9,90). O gibi já deve estar nas bancas de boa parte do País.
Ok, a coragem, por si só, não se mantém sozinha. A aposta vem, claro, pelo bom material produzido pela editora Valiant nos EUA, que não é nenhuma novata nesse mercado. A Valiant Comics foi criada em 1989 por Jim Shooter e Bob Layton, que, ao lado de outros quadrinistas, empregaram a experiência de anos no mercado de quadrinhos para criar personagens totalmente novos. Assim surgiu X-O Manowar, Harbinger, Bloodshot e tantos outros.
Acontece que a Valiant nunca fez cócegas ao sucesso de Marvel e DC, e ainda perdeu mais espaço depois do surgimento da Image. Acabou nas mãos da Acclaim, que pode até ter entendido de games, mas nunca de quadrinhos. Na segunda metade dos anos 2000 a editora passou a ter novos donos, que iniciaram um processo de reestruturação, culminando com um reboot em 2012.
No caso da Valiant, o reboot fazia sentido — não era muito fácil arrumar as besteiras feitas com tantas mudanças no comando. E é esse reboot que chega ao Brasil, na primeira oportunidade que um material da editora é publicado no nosso País.
Na primeira edição da revista X-O Manowar, a HQM reuniu as duas primeiras edições gringas da atual versão do personagem-título, além de Harbinger #1.
X-O Manowar

Reciclando velhas ideias, DC anuncia versão futura da Liga da Justiça em busca de algo "novo". UIA!

A DC está se mexendo para continuar relevante e interessante após o bem-sucedido reboot. Não que isso seja ruim, claro. Coisas boas podem sair daí. E Justice League 3000, anunciado pela editora nesta semana, tem bastante potencial para tal, apesar de resgatar velhas ideias.
Para começar, a DC convocou justamente a equipe responsável pela ótima fase da Liga da Justiça Internacional nos anos 80: Keith Giffen, J.M. DeMatteis e Kevin Maguire. A diferença é que, desta vez, chamaram o ótimo Howard Potter (que também trabalhou com a Liga, mas nos anos 90) para criar uniformes ~modernosos para os heróis.
E as diferenças não ficam só nisso. Na fase Internacional, o trio tinha que lidar com um grupo que contava com caras como Besouro Azul, Gladiador Dourado e Guy Garner em suas fileiras. Personagens incríveis, mas que nunca foram os “mais respeitados do mundo”. Até por isso, Giffen e DeMatteis investiram nos problemas de relacionamento dos heróis – e na diversão que isso gerava.
Agora não. Justice League 3000 vai contar com os principais super-heróis da DC. Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Flash, Lanterna Verde… Todos lá. O desafio na hora de escrever a história é bem maior. Surge a necessidade de ser mais icônico. “Essa revista… Nós temos os grandões!”, comemorou o Giffen em entrevista ao CBR News.
Como o nome indica, a HQ se passa daqui mil anos, ou seja, no século XXXI, o mesmo da Legião dos Super-Heróis. “Eu amo o século XXXI”, resumiu o roteirista. Além disso, o gibi se passará dentro da atual continuidade pós-reboot, de Os Novos 52.
De certa forma, Justice League 3000 chega para preencher a lacuna deixada pelo gibi da Legião, que foi cancelado. “E foi cancelado porque não estava vendendo”, frisa Giffen. Pode ser. De qualquer forma, é sempre interessante brincar com o futuro dos super-heróis. Há alguns anos o roteirista Grant Morrison fez algo parecido durante a saga Um Milhão, revelando o Universo DC no século 853 — escolhido por ser quando a revista Action Comics alcançaria a edição de número 1 milhão.
É bom lembrar que Um Milhão apresentou a Legião da Justiça Alfa, inspirada nos feitos da Liga da Justiça e da Legião dos Super-Heróis. Bom, pode ser que a Justice League 3000 abra espaço para a reintrodução desse conceito no futuro, não?

Anarriê! Milho, fogueira, canjica, café e quadrinhos! Alavantu!

Amanhã ocorrerá mais um "Café Literário Quadrinhos" promovido pela Livraria Nobel de Natal. A iniciativa teve início em março e desde então a cada última semana de cada mês um trio de profissionais do traço potiguar é convidado para falar sobre a sua produção, sempre contando com a mediação de outro artista. A cidade está de parabéns pela regularidade que está sendo mantida nesse evento tão bem organizado pela Nobel. Há anos que os amantes da nona arte se sentiam órfãos e carentes de um point como esse. Agora não há mais motivos para choro, nem chorumelas. No encontro deste mês os convidados foram Gabriel Andrade, Ivan Cabral e José Veríssimo, com mediação do Brum - que promete sortear suas novas publicações após o evento (O Guarda-vidas e Brummmmm).
Fica aqui o nosso registro-convite e repassamos a seguir a chamada feita no Solto na Cidade.

sábado, 22 de junho de 2013

LULU E BOLA TROCAM SEU PRIMEIRO BEIJO

Edição 50 da revista apresenta o beijo do casal mais antigo dos quadrinhos

Descrição: LULUZINHA_ED_50 - CópiaO casal mais querido dos quadrinhos cresceu, ganhou novos fãs e finalmente ficaram juntos. Será que vai dar namoro? Lulu já não tem sua boina vermelha, nem Bola possui seu famoso clubinho, mas a dinâmica da dupla continua ascendente. Os personagens, que agora protagonizam o HQ brasileiro Luluzinha Teen e Sua Turma, celebram 50 edições de sucesso em todo o país.

A edição comemorativa com o primeiro beijo da duplinha chega às bancas nesse mês dos namorados, mas o clima de romance não é o único que impera na revista. Como não poderia ser diferente, trapalhadas, ação e humor não ficaram de fora.


A Trama – edição 50
Graças a um vídeo que acidentalmente Glorinha posta no Youtube, a banda Loki ganha inúmeras visualizações e torna-se responsável pelo grande hit do momento. Com fama, mas ainda sem dinheiro, Bola e seus amigos são convidados a se apresentar num grande cruzeiro. Devido a um período de baixa lotação, os meninos ganham direito de convidar seus amigos para a trip. A turma toda vai a bordo – inclusive Zico, o rival de Bola, que é convidado por Aninha. Está armado o cenário perfeito para desventuras e confusões.

Entre os compromissos do show, Bola arma planos, se disfarça, faz de tudo para neutralizar Zico. Só não contava com um grande imprevisto. O navio bate em rochedos e começa ficar inundado. Sem perda de tempo, todos correm para os botes salva-vidas. Contudo, em meio ao tumulto e corre-corre, percebem que Bola ficou para trás. E nessa mistura de tensões, sentimentos e ricos de vida, eis que Lulu e Bola protagonizam seu tão aguardado primeiro beijo.

Tosquices em quadrinhos

Toscomics
Toscomics
Samanta Flôor
Série Café Espacial apresenta, n. 1. João Pessoa: Marca de Fantasia: 2013. 60p. 14x20cm. R$12,00.
ISBN 978-85-7999-073
-1
A Editora Marca de Fantasia e a Café Espacial se unem para servir uma nova série de álbuns: Café Espacial apresenta. Como uma deliciosa xícara de histórias em quadrinhos autorais, a série é uma proposta da editora de dar destaque a autores da Café Espacial. E a estreia é com a quadrinhista gaúcha Samanta Flôor.
Formada em Arquitetura, Samanta Flôor seguiu sua paixão por ilustração e fez pós-graduação em Expressão Gráfica pela PUC-RS. A artista trabalha como ilustradora freelancer desde 2008, mas nunca deixou de criar trabalhos autorais, inicialmente sempre inspirada em seu próprio cotidiano.
A série de humor escrachado que ela mesma intitulou de Toscomics, apresenta quadrinhos para quem gosta do melhor das tosquices – ou para quem gosta de “toscos” de qualidade. São histórias em quadrinhos que misturam fatos corriqueiros do dia-a-dia quase sempre autobiográficos. Quase.
Café Espacial apresenta n. 1: Toscomics traz uma seleção dos melhores trabalhos de Samanta desde sempre. De antigos a novos, dos já conhecidos da internet aos inéditos, a publicação reúne quase que de forma cronológica os trabalhos dessa talentosa quadrinhista.
Leve e divertido, como a vida deve ser. Esse é o resultado da leitura desses quadrinhos “toscos”. Delicie-se e dê boas risadas.

As 10 ideias mais cretinas dos quadrinhos

A inteligência humana tem limites, mas a idiotice não. A inteligência possui uma série de explicações determinantes (genéticas, sociais, espirituais), mas ao que parece a imbecilidade é um mal que pode acometer todos os seres humanos inexplicavelmente.
Em resumo, ela é democrática: está ao alcance de todos! Hitler decidiu invadir o território da URSS onde se encontra a Rússia no inverno (Napoleão já tinha tentado e igualmente fracassado), pareceu uma boa ideia aos romanos deixar os germanos tomar conta de suas fronteiras, Xerxes decidiu invadir a Grécia e por aí vai. E, óbvio, na indústria dos quadrinhos não poderia ser diferente.
Aqui vai um Top 10 das ideias mais cretinas, imbecis e retardadas de todos os tempos (ou quase)! Como sei que isso facilmente poderia se tornar um Top 100 ou Top 1000 já convido eventuais leitores para postarem as ideias por aqui não mencionadas ou negligenciadas.
10. Justiceiro como anjo
Um dia Frank Castle resolve acabar com todos os seus problemas metendo uma bala na cabeça. Vagando no além, o Justiceiro é possuído por um Anjo Vingador, que era o encarregado de proteger sua família. Parece que os autores tem uma regra básica para os personagens: quando todas as boas ideias já foram feitas, a receita é simples: descaracterize o personagem.
9. Thor alienígena

sexta-feira, 21 de junho de 2013

HQ ZONE: Natal vai tremer!

O herói pode ser de papel, lutar com capa e espada, usar máscara, ter super-força ou um intelecto privilegiado.
O herói pode estar no cinema, nos confins do espaço ou fazer graça em desenhos animados.
Muitos heróis circulam pela vizinhança, mas não são notados.
Aproveite as férias e descubra que um desses heróis pode ser você!
De 05 a 15 de julho, o Praia Shopping, o PortalGHQ e o Quadrinhos – estúdio e escola de desenho promovem a HQ Zone, trazendo uma porção de atividades, como: exposições, mesas-redondas, palestras, feirinha de venda e troca de quadrinhos usados, lançamentos de quadrinhos e sessões de autógrafos com renomados desenhistas, além de divulgar a crescente produção local.

Salão Internacional de Humor ganha prêmio Unimed e convida artistas a desenharem sobre saúde

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba ganha mais uma novidade no ano em que completa quatro décadas. Trata-se do Prêmio Unimed, que será oferecido ao artista gráfico que desenvolver o melhor trabalho com o tema Saúde. As inscrições estão abertas até 19 de julho, mesmo prazo para envio de obras nas outras cinco categorias da histórica edição. Em 2013 os prêmios somam R$ 46 mil.

Ao criarem as obras, os artistas podem utilizar a linguagem do cartum, charge, caricatura, tiras ou histórias em quadrinhos. A técnica é livre. As produções devem ser enviadas pela internet ou Correios. O vencedor recebe R$ 3 mil, que será entregue em 24 de agosto, na abertura oficial do evento.

Diretor e roteirista de 'Homem de Aço' falam dos futuros filmes baseados nos heróis da DC


Reino do Amanhã
Com a bilheteria de "Superman: Homem de Aço" quebrando recordes no final de semana de estréia, se confirmou a promessa de que a partir de agora a Warner vai dar mais atenção aos seus projetos de super-heróis. Já se sabe que David S. Goyer , roteirista da trilogia dos filmes do  e do novo filme do Super-Homem, recebeu a missão de escrever a continuação da franquia do Super-Homem assim como uma versão para o filme da Liga da Justiça. Durante a divulgação de "O Homem de Aço", Goyer comentou sobre seus planos para os próximos filmes. Entre outras coisas, ele falou sobre a presença do Batman na Liga da Justiça e as chances de novos super-heróis do universo DC se beneficiarem do novo filme do Super-Homem.

Em uma entrevista para o Hey U Guys , Goyer deixou  que o novo filme da Liga da Justiça certamente vai trazer um novo Batman no lugar de Christian Bale e disse o seguinte: "Seria hipócrita pensar que a Warner Bros não espera que este filme seja o ponto de partida para um novo universo. E Zack (Snyder) já falou que Bruce Wayne existe neste universo. Seria um Bruce Wayne  diferente da trilogia de Nolan, e seria errado dizer que eu e Zack  não  conversamos várias vezes durante as filmagens, sobre "como seria se" e o que vem pela frente. 


A Warner Bros quer fazer mais filmes do "Homem de Aço"  e espera que este seja o início de um universo compartilhado. Poderemos encontrar o Batman ou Mulher Maravilha, ou a Liga da Justiça nesses filmes. Todos dependem de recepção de bilheteria ", disse Goyer, antes dos números do final de semana terem sido divulgados.

Princesas da Disney reimaginadas em forma de guerreiras sensuais


Felizes para Sempre
O ilustrador digital  Mike Roshuk criou esta série de artes conceituais onde as princesas clássicas da Disney se transformam em guerreiras sensuais. Personagens como Ariel, Cinderela, Pocahontas, e Jasmine, perderam o pudor e ganharam biquínis metálicos, armas e outros acessórios e se tornaram máquinas de matar  sedutoras como as amazonas que estampavam a "Heavy Metal".

Veja o trabalho de Roshuk abaixo:

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Lendas da Antiguidade é o novo especial temático Disney

Lendas da AntiguidadeO que há de verdade nos mitos de Nero, Olímpia, Pompeia e tantos outros mais? Mickey, Pateta, Donald, Pardal, Tio Patinhas são os arqueólogos de Patópolis que vão responder a essas e outras perguntas.
Lendas da Antiguidade (formatinho, 304 páginas, R$ 16,00) é mais um especial temático Disney, com diversas HQs selecionadas pelo editor Paulo Maffia.
Dentre os destaques da edição, a primeira aventura com a participação de Indiana Pateta, inédita no Brasil.
O título é um lançamento da Editora Abril e já está nas bancas.
Via UHQ
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...