terça-feira, 29 de setembro de 2015

Os 30 anos de She-Ra, a Princesa do Poder

She-Ra
Por Marcus Ramone
Data: 28 setembro, 2015

Das figuras de ação aos quadrinhos, conheça a curta, mas marcante história da irmã gêmea de He-Man.


No último dia 9 de setembro, foram celebrados os 30 anos de uma série de desenhos animados que marcou a infância de muita gente em diversos países: She-Ra, a Princesa do Poder.
A bela guerreira surgiu na esteira do sucesso de He-Man e Os Mestres do Universo, linha de figuras de ação da Mattel que estourou como uma série de animação e nas revistas em quadrinhos.

Filmation, produtora do desenho animado de He-Man, e a Mattel resolveram criar uma versão feminina do herói de Etérnia depois de descobrir que mais de 30% do público do personagem eram compostos por meninas.
Mas pouco antes do lançamento dos produtos relacionados à marca, descobriu-se que havia uma personagem de livros de fantasia, Sheera, cujos nome e pronúncia se pareciam muito com o da nova heroína. A solução foi comprar os direitos da obra de Barbara Hambly, para evitar uma possível concorrência de outras fábricas de brinquedo.
A linha de brinquedos não durou muitos anos, sequer chegando à década de 1990. Mas foi em outras áreas que She-Ra, de fato, mais se destacou.
Os desenhos animados
A primeira animação de She-Ra foi um longa-metragem para o cinema, que reuniu os cinco episódios iniciais da série televisiva. O Segredo da Espada Mágica estreou em março de 1985, meses antes de a personagem chegar à TV e ao mesmo tempo em que as action figures aportavam nas lojas.
Assim surgiu Adora, irmã gêmea do príncipe Adam (alter ego de He-Man), que vivia em outra dimensão, no planeta Etéria, e havia se separado da família quando o maligno Hordark a raptara. Lá, ela era uma vilã que liderava as hordas mutantes de seu soberano e somente depois da visita do irmão – graças a um portal aberto pela Feiticeira, protetora do Castelo de Greyskull, em Etérnia – percebera que o imperador do planeta era um tirano que a manipulava.
Ganhando poderes graças à espada da proteção que havia atraído He-Man a Etéria, Adora se transformou em She-Ra – e seu fiel cavalo branco Espírito virou o alado Ventania -, juntando-se à Rebelião (formada por Arqueiro, Madame Rizzo, Corujito, Cintilante e muitos outros, que ainda contavam com a ajuda de diversos aliados) para lutar contra a Horda e libertar seu planeta do jugo de Hordark.
A série teve apenas duas temporadas e 93 episódios, exibidas originalmente de 9 de setembro de 1985 a 5 de dezembro de 1987, nos Estados Unidos. Dentre seus roteiristas estavam Paul Dini e J. Michael Strackzynski, hoje nomes famosos na indústria dos quadrinhos.
No Brasil, os desenhos animados foram exibidos nos programas Balão MágicoXou da Xuxa, TV Colosso e Xuxa Park. Em 1986, o episódio em que She-Ra e He-Man se encontram pela primeira vez proporcionou o maior pico de audiência do Xou da Xuxa, até então, e um dos maiores da programação infantil da TV Globo em muitos anos.
Em dezembro de 1985, foi produzido um especial para TV com quase uma hora de duração. O Natal de He-Man e She-Ra reuniu os dois heróis numa aventura em que eles vêm ao planeta Terra em busca do atrapalhado mago Gorpo, que chegou aqui acidentalmente. Eles descobrem e se encantam pelo Natal e levam duas crianças – com quem fizeram amizade – para conhecer Etérnia.
Foi exibido no Brasil pela TV Globo, no Natal de 1986.
He-Man e She-Ra
Nos gibis
A Princesa do Poder chegou aos quadrinhos já em 1985, em minigibis que vinham nas embalagens das figuras de ação – seis delas tiveram versão em português, quando os brinquedos foram lançados no Brasil, pela Estrela. Essas minicomics – e as de He-Man – serão reunidas em uma edição especial a ser lançada pela Dark Horse no próximo mês de outubro, nos EUA.
HQs (incluindo séries de tiras de jornal) da campeã de Etéria também foram produzidas em vários países, como Espanha, Dinamarca, Alemanha, Inglaterra e Brasil – a Editora Abril publicou o gibiShe-Ra de janeiro a dezembro de 1988, com material criado em seu estúdio.
Em 2013, ela voltou triunfante aos quadrinhos, nos Estados Unidos, com importantes participações em He-Man and the Masters of the Universe, da DC Comics, e desde então tem marcado presença no título (na verdade, um conjunto de maxisséries). A saga He-Man- The Eternity War está em andamento e apresenta um crossover épico entre os universos dos irmãos superpoderosos.
Revista em quadrinhos da She-Ra
Espalhando o sucesso
Foi uma passagem inicial meteórica no mundo do entretenimento, mas marcante o suficiente para deixar seu rastro pelo caminho em vários segmentos.
Além dos muitos produtos licenciados – de cadernos a outros materiais escolares, passando por uma grande variedade de jogos e brinquedos diversos, sem contar itens de vestuário e álbum de figurinhas  -, o Brasil abraçou a irmã de He-Man no mundo da música infantil. A canção She-Ra, gravada por Xuxa, estourou entre a criançada, em 1986.
Para comemorar estes 30 anos de She-Ra, a Tweeterhead lançou nos EUA um busto da super-heroína. Medindo 24 cm de altura, cada exemplar da escultura foi pintada à mão e está à venda por US$ 89.99 (ou R$ 449,99, na brasileira Anime World Store).
Mas se, a atualmente, está proibitivo o luxo de se presentear com memorabilias importadas, os fãs brasileiros podem ao menos matar a saudade de She-Ra, Princess of Power assistindo às reprises da série no canal por assinatura Gloob. Ou, para quem mora em São Paulo/SP (e regiões da Grande SP) ou Manaus/AM, aproveitar o Festival She-Ra e He-Man, promovido pela Focus Film e a PlayArte Cinemas, que no próximo dia 12 de outubro exibirá na tela grande vários episódios clássicos das duas séries.
Marcus Ramone ainda se lembra do dia em que cabulou aula para assistir ao primeiro encontro de She-Ra e He-Man na TV.
Estatueta da She-Ra
He-Man e She-Ra

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...