terça-feira, 20 de setembro de 2016

Os 10 pontos essenciais para a construção do personagem em uma HQ


Trabalhar com o texto exige algumas particularidades como a construção de um simulacro que exige a suspensão da crença para o leitor.
Com isso, quero dizer que o leitor precisa aceitar o voo e a potência de um soco capaz de derrubar uma parede porque existe um mínimo de veracidade no que está por trás das ações do personagem, mas, principalmente, existe o personagem.
O personagem é o elemento principal e o enredo, a trama giram em torno dele, e não ao contrário.

Construir um bom personagem garante sequências, histórias, novos arcos…
E é preciso que o leitor o abrace (ou que o odeie), estabelecendo um vínculo.
Ele precisa estar carregado de humanidade, ainda que seja um androide, um eletrodoméstico ou um animal.
É a humanidade, com seus dilemas morais do dia a dia que precisa estar lá para estabelecer uma relação com o leitor.
Mas como estabelecemos essa “humanidade” para o personagem?
São dez pontos, que podem se estender para mais ou para menos, porém é preciso que o autor tenha noção.
1 – Quantos anos tem seu personagem? Isso define muita coisa, pois pode alterar sua visão de mundo, sua relação com outros personagens e o mundo em que ele vive e se relaciona.;
2 – Qual o nome do seu personagem? Dê valor a isso, pois pode enriquecer não apenas sua trama, mas abrir espaço para o leitor estabelecer outras conexões dentro da história. Um nome é uma identidade poderosa se bem aproveitada. Não desperdice essa oportunidade para fortalecer sua história, seu personagem;
3 – Com quem ou com o quê seu personagem é parecido? Construa o lado físico, mas também, principalmente, o psicológico. Crie aspectos que possam estabelecer paradoxos, por exemplo, pois eles despertam a curiosidade. A complexidade é algo bem interessante, mas depende muito do que você pretende construir. São vários exemplos: Batman, Homem-Aranha, Naruto…
4 – Qual é o mundo do seu personagem? O lugar em que ele vive deve dizer também sobre o seu personagem. Então qui vai uma dica importante: tudo o que você escrever sobre o seu personagem deve somar, contribuir na construção da humanidade do seu personagem. Não pode ser algo à toa, mas parte de algo maior.  Ele mora num apartamento no centro da cidade? No subúrbio? Pergunte-se o que isso contribui no aspecto psicológico do personagem.
5 – Onde se encontra seu personagem? Em que momento, ou momentos, o seu personagem  está e com quem ele interage? Isso vai determinar a maneira como ele fala e percebe o mundo, seus valores.
6 – O seu personagem vive do quê? Pense nele atuando ao nosso lado. Qual seria o ganha-pão dele? E novamente isso afeta a relação dele, o mundo em que ele se relaciona e, claro, a relação desse ponto com a sua trama.
7 – Qual é o passado do seu personagem? Mesmo que não apareça de forma direta na sua história, você precisa construir um passado para ele, pois isso fornece mais segurança sobre como vai agir o personagem e a sua relação com os outros no enredo.
8 – Seu personagem reage de que forma a respeito de conflito e mudanças? Um bom personagem tem conflitos que são claros para os leitores e outros são tão complexos que atiçam a curiosidade dos leitores. Imagine como ele reagiria a um determinado problema e se possível não caia no lugar comum. Hoje o leitor é esperto demais e ele busca novas experiências, surpresas.
9 – Quais pessoas fazem parte da vida do seu personagem? Quais e por que são importantes? Aqui a palavra-chave é relacionamento, relacionamento e relacionamento… Isso mostra quem o personagem é também. Mostra veracidade em suas ações e não pode ser um peso na construção, mas um elemento que soma na riqueza que seu personagem tem para mostrar.
10 – Qual a motivação do seu personagem? O quão ele está motivado para resolver um problema? Isso deve estar claro para o leitor, pois trata-se do seu engajamento, vínculo com a trama.  A verdadeira trama de uma boa história é a relação do personagem com o seu conflito e o quão difícil será a resolução.
Esses pontos estão no livro de James McSill, autor que já comentei em outro post (vejaAQUI).
Ajuda bastante na hora em que você for construir o seu personagem, mas releve a ordem e a necessidade em bater todos os 10 pontos.
Pense neles como camadas que podem enriquecer o seu personagem, e um personagem bem construído tem força para contar várias histórias.
Como você está construindo seu personagem?
Tem alguma dica para compartilhar?
Se ficou interessado por mais informações, envie um e-mail para contato@primalstudio.com.br Somos uma produtora cultural com projetos aprovados também na área de quadrinhos.
Assine a nossa newsletter e nos acompanhe nas redes sociais.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...