quarta-feira, 8 de maio de 2013

Documentário: a importância dos fanzines para o rock independente


fanzineiros do seculo passadoO terceiro capítulo do documentário “Fanzineiros do Século Passado”, do jornalista Márcio Sno, fecha uma série que começou de forma despretensiosa em 2011 e que se tornou uma das principais referências para pesquisadores e curiosos em saber o que afinal é um fanzine e por que esse tipo de publicação independente e artesanal foi (e ainda é) importante para a cultura underground, especialmente nos anos 90, década que marcou o ápice e também o declínio (mas não o fim) da atividade zineira.
Neste episódio, intitulado “O fanzine e o rock independente dos anos 90, na sala de aula, como objeto de pesquisa e divisor de águas (e o seu futuro)”, mais uma vez é abordada a relação dos fanzines com o rock na era pré-internet (tema central do capítulo anterior, cuja resenha também foi publicada no Whiplash.net). Comparecem com depoimentos Canisso (Raimundos), Érika Martins (Penélope), Nervoso (Acabou La Tequila), entre outros, além de zineiros e ex-zineiros, que lembram, entre várias histórias, que algumas bandas tinham o próprio fanzine (caso do Cólera, Little Quail e Plebe Rude) e que músicos hoje consagrados (como Marcelo Camelo, do Los Hermanos) também já foram zineiros.
O documentário também traz a discussão para os dias atuais, quando o fanzine se torna objeto de estudo acadêmico, mesmo carecendo de uma bibliografia mais ampla; mostra o antes e o depois de quem um dia se envolveu com o fanzinato; e aponta as novas possibilidades para a produção fanzineira, principalmente como ferramenta de apoio pedagógico.
Aos interessados, o trailer da última parte da série “Fanzineiros do Século Passado”, bem como os dois capítulos anteriores, está disponível no Vimeo: http://vimeo.com/marciosno.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...