terça-feira, 8 de abril de 2014

Ciranda da Solidão

Ciranda da Solidão


Uma história bem contada tem que ter uma trama envolvente e personagens complexos envolvidos em relações humanas verossímeis que permitem ao leitor se identificar com o que acontece e projetar suas próprias emoções na narrativa. Posto isso, Mário César, em Ciranda da Solidão, conta cinco soberbas histórias sobre pessoas lidando com dramas reais como ciúmes, nostalgia, a descoberta da sexualidade na adolescência, encontros e desencontros amorosos, entre outras coisas. Todos temas caros a qualquer pessoa.

Detalhes

Uma história bem contada tem que ter uma trama envolvente e personagens complexos envolvidos em relações humanas verossímeis que permitem ao leitor se identificar com o que acontece e projetar suas próprias emoções na narrativa. Posto isso, Mário César, em Ciranda da Solidão, conta cinco soberbas histórias sobre pessoas lidando com dramas reais como ciúmes, nostalgia, a descoberta da sexualidade na adolescência, encontros e desencontros amorosos, entre outras coisas. Todos temas caros a qualquer pessoa. Mas o grande charme dessas HQs é que são protagonizadas por homossexuais, e cada uma mostra um aspecto do universo LGBT, como um adolescente descobrindo-se atraído por um colega, um idoso se lembrando de seu amor, um casal de lésbicas com complicações no relacionamento, temas que ao mesmo tempo são específicos e universais, pois os roteiros nos fazem mergulhar em emoções com as quais todo mundo se identifica. Mário César faz tudo isso em uma arte elegante e direta, que favorece a fluidez da história. Não à toa que o livro conseguiu apoio dos leitores e foi bancado por meio da plataforma Catarse, de financiamento coletivo do tipo crowdfunding.

Formato: 16 x 23 cm 
Páginas: 96
Cor: 2 cores 
ISBN: 978-85-63223-20-3

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...