sexta-feira, 25 de abril de 2014

Os jovens desenhistas que estão mandando bem nas HQs

Às vezes a história está chata e com um roteiro monótono, mas você faz questão de ler até o final só por conta da arte. Diversas vezes os desenhistas conseguem salvam uma história somente por ter uma arte simples, uns layouts diferentes, uma arte detalhada ou outros detalhes que vão do gosto de cada um - mas não vamos desmerecer os roteiristas, o inverso também acontece.
No último dia 15 de abril foi celebrado o Dia Mundial do Desenhista. A data esta foi escolhida por conta do nascimento de Leonardo da Vinci, um dos maiores artistas de todos os tempos. No ano passado falamos dos 10 desenhistas de quadrinhos mais influentes de todos os tempos, mas que tal falarmos da nova geração?
Veja a seguir uma lista de desenhistas que vale a pena conhecer e que com certeza irão brilhar ainda mais no futuro.
VALERIO SCHITI

O italiano Schiti nasceu em Roma e antes de virar desenhista pensou em virar arquiteto. Mudou de ideia depois de ler o Quarteto Fantástico de John Byrne e resolveu que sua verdadeira paixão eram os quadrinhos. Após fazer alguns trabalhos para a IDW, como Teenage Mutant Ninja Turtles e Battle Beasts, o cara chamou a atenção da Marvel.
Schiti teve a missão de pegar a clássica revista Journey Into Mystery junto com a roteirista Kathryn Immonen e lançar ela pra iniciativa Marvel NOW! que chegou aqui no final do ano passado sob a alcunha de Nova Marvel. Embora o título tenha sido aclamado pela crítica internacional as vendas não foram tão boas e a revista foi cancelada depois de 10 edições.
Mesmo com esse azar, o artista foi valorizado dentro da editora e pegou outros trabalhos comoAvengers A.I. e Mighty Avengers (todos citados aqui ainda são inéditos no Brasil).
Entre suas influências, Schiti cita que as principais são: Ryan Ottley, Olivier Coipel, Yanick Paquette e Stuart Immonen.
Pra ver um pouco mais do trabalho do cara, acesse o Tumblr dele.
AARON KUDER
O artista nascido em Michigan tem como grande influência em sua arte o grande Art Adams (que também influenciou Jim Lee, Rob Liefeld e muitos outros artistas) e começou a trabalhar na indústria em 2010, arte-finalizando a revista Elephantmen pra Image Comics. Junto com o artista Chris Burnham ele foi desenhar The Amory Wars (primeiro arte-finalizando a arte de Burnham e depois assumindo o título) chamando a atenção da DC Comics.
A editora colocou Kuder para desenhar o gibi da Legion Lost dos Novos 52 e ainda sobrou um tempo para desenhar Avenging Spider-Man pra Marvel (essa história saiu aqui no Brasil em A Teia do Homem-Aranha nº22 da Panini Comics). A DC percebeu que poderia perder Kuder pra rival e deu outros trabalhos como Green Lantern: New Guardians (aqui você pode conferir em Lanterna Verde nº0, 14, 15 e 17 da Panini Comics), depois partiu pra Superman e em seguida Action Comics. Recentemente ele também assumiu os roteiros da série do Superboy (tudo isso em breve irá aparecer na revista mensal do Superman aqui no Brasil).
Veja mais do trabalho de Kuder aqui.
DAVID MARQUEZ
Apesar do nome latino, Marquez é inglês e começou no mundo da animação antes de ingressar na indústria dos quadrinhos. Em 2011 ele fez dois trabalhos para a editora Archaia onde ele concorreu ao Russ Manning Most Promising Newcomer Award. Esse fato chamou a atenção da Top Cow fazendo com que ele trabalhasse na revista Magdalene antes de desembarcar na Marvel onde seu primeiro trabalho foi Fantastic Four: Season One, linha da Marvel exclusiva para as livrarias recontando as origens dos heróis(inédita no Brasil).
Esse trabalho chamou a atenção de Brian Michael Bendis, um dos grandes roteiristas da atualidade da Marvel, colocando o cara pra desenhar Ultimate Comics Spider-Man, All New X-Men e Age of Ultron(esses trabalhos saíram em Ultimate Marvel, X-Men da Nova Marvel e A Era do Ultron aqui no Brasil).
Tumblr dele é bem interessante, cheio de artes originais.
TRADD MOORE
Um dos grandes talentos dessa geração, Tradd Moore tem um arte cinética e com grande influência dos mangás e das animações. O cara surgiu chutando bundas em The Strange Talent of Luther Strodeda Image Comics e, com o sucesso da mini, fez a continuação The Legend of Luther Strode e ainda aguarda uma terceira parte prevista para o final desse ano. A Marvel já o colocou em Ghost Rider, o novo título do novo Motoqueiro Fantasma (que agora é um latino e dirige um carro ao invés da tradicional moto). Infelizmente nenhum desses materiais chegou aqui no Brasil e também não há previsão para a publicação.
Se eu fosse você visitaria o Tumblr dele agora mesmo.
CAIO OLIVEIRA
Um dos artistas brasileiros mais talentosos da atualidade, Caio está no mercado nacional faz um tempo, mas só estourou mesmo com a HQ Super-Ego uma webcomic que graças ao Kickstarter (falamos sobre o Kickstarter aqui, lembra?) ganhou uma edição encadernada, chamando atenção até do Bleeding Cool.
Outro trabalho bem legal é As Aventuras de Alan Moore, o Mago Supremo, em que o artista brinca com o fato de o roteirista Alan Moore ser o Dr.Estranho da Marvel, mostrando suas aventuras ao lado do seu fiel mordomo Morriswong (o roteirista Grant Morrison) e todos os problemas possíveis.
Caio tem uma página no Facebook onde ele mostra toda a sua versatilidade.
JASON FABOK
Fabok começou na Aspen Comics e assim como 99% dos artistas de lá, tinha como influência o falecido Michael Turner. Após algum tempo na editora, ele foi pra DC e fez alguns trabalhos antes dos Novos 52 como Batman: The Dark Knight, cobrindo o atraso de David Finch na arte, outra grande influência (você pode conferir esse trabalho em Batman Especial: O Cavaleiro das Trevas).
Mas foi após o reboot que Fabok ganhou visibilidade ao fazer algumas capas pra diversos títulos do universo do Batman além de assumir o título Detective Comics, um dos mais tradicionais da editora.
Mostrando o quanto seu prestígio cresceu, Fabok recentemente foi escolhido como o principal desenhista de Batman Eternal, novo título semanal do Batman, e um dos grandes lançamentos dos 75 anos do personagem.
O artista tem um site onde ele publica diversas artes.
FIONA STAPLES
Gloriosa. Incrível. Gênia. Esses são apenas alguns dos elogios que a artista canadense recebeu por conta dos seus trabalhos. E não é à toa: Fiona Staples conta com uma arte que mistura influência europeia, vídeo game e animação japonesa. Ela também colore seus próprios trabalhos e ainda arranja tempo para letreirizar.
A artista ganhou visibilidade graças à série Saga da Image Comics onde já ganhou os mais diversos prêmios, entre eles o Harvey Award de melhor artista e melhor colorista. A Devir afirmou que irá publicar a série ainda esse ano por aqui então só nos resta esperar.
Em seu Tumblr, Staples mostra as suas influências além de diversos esboços e materiais inéditos.
Esses são apenas alguns artistas que estão despontando no mercado, lembrou-se de mais algum? Deixe seu recado nos comentários!
Via Yahoo
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...