terça-feira, 29 de julho de 2014

Bat-setentão ganha festa no HQ Zone

 
Em 75 anos ele teve tempo para tudo, mudou conforme as mudanças do mundo ao redor mesmo sem nunca tendo saído de Gotham City, e na última semana ganhou um dia para chamar de seu – agora o 23 de julho também pode ser chamado de “Batman Day”. Depois que surgiu nas páginas de uma HQ, em maio de 1939, voou para as séries de televisão onde ensaiou sua conquista nos cinemas. O homem-morcego, Bruce Wayne quando não está ‘em serviço’, um dos personagens mais famosos e rentáveis da editora DC Comics ao lado do Superman, ganha destaque dentro da segunda edição da HQ Zone. O evento acontece entre 1º e 10 de agosto no Praia Shopping, em Ponta Negra, e traz exposição alusiva ao herói com posteres, gibis antigos e revistas novas, cards, exibição de filmes e desenhos animados, actions figures e tudo quanto é tipo de souvenir que remetam ao Cavaleiro das Trevas.



 
Coleções de Dickson Tavares estarão expostas no evento HQ Zone, no Praia Shopping. Ao lado, desenhistas e roteiristas potiguares que participarão de mais uma edição da feira
Um ‘bat-papo’ com o designer natalense Dickson Tavares, 34,  colecionador e fã da Batman, dono de boa parte do acervo que será exposto, faz parte da programação que também inclui lançamentos de novos títulos de quadrinistas potiguares, debates, palestras e oficinas de desenho para pais e filhos.
Outro grande destaque da HQ Zone é a presença de Raphael Fernandes, roteirista de quadrinhos e editor da revista MAD, um ícone entre as publicações de humor. Ele aproveita a ocasião para analisar portfólios de desenhistas locais. Sempre em busca de novos talentos, ano passado Raphael convidou o chargista desta TRIBUNA DO NORTE Rodrigo Brum para colaborar na MAD, cuja versão brasileira completa 42 anos em 2014. Toda a programação é gratuita, mas as palestras tem lotação de 40 lugares e a leitura de portfólio está limitada a 10 autores, então convém garantir vaga através do e-mail portalghq@gmail.com.
O editor da MAD também irá lançar projetos autorais como o thriller de suspense “Ditadura no Ar”. Raphael está à frente da MAD desde 2008 e atualmente trabalha na produção de um mangá.

“Elaboramos uma agenda bem família, para contemplar o Dia dos Pais, por isso nos dois domingos da HQ Zone (dia 3 e dia 10) teremos contação de história, oficinas de tirinhas e pocket show infantil”, adiantou Milena Azevedo, organizadora do evento. Milena ainda destaca mostra com desenhos sobre os 75 anos do Batman feitos por alunos do quadrinista Geraldo Borges, cearense radicado em Natal que colabora com a DC Comics, mesa-redonda com os criadores do Macaxeira Zine e conversa com Gabriel Andrade Jr, desenhista potiguar com projeção internacional.

Um cara comum
Sobre o Batman, Milena Azevedo lembra que a popularidade do personagem foi catapultada a partir do seriado dos anos 1960. “Mais colorido que os quadrinhos, o seriado da TV deu uma amenizada na imagem do Batman, que era muito mais sisudo e violento quando surgiu. Antes ele usava arma, atirava e matava, era época de gangster, lei seca nos EUA, um período bem violento; e como muita criança lia as HQs os pai começaram a criticar”, disse a idealizadora da HQ Zone e também roteirista de quadrinhos com vários trabalhos publicados.

Milena informou que pesquisas recentes mostraram que o símbolo do Batman é mais conhecido que o do Superman, este criado um ano antes que o homem-morcego em 1938. “A batmania ganha força com esse seriado dos anos 60 (reprisado no Brasil na década de 1980)”.

O fascínio de Dickson Tavares pelo Batman começou aos 13 anos, com os gibis e há quase três passou a colecionar as actions figures (bonecos) de super-heróis. “Duas coisas me atraíram no Batman mais que os outros: seu senso de justiça e a humanidade. Batman é um cara comum que só conta com a inteligência e a capacidade de fazer o correto. Mesmo sem os apetrechos tecnológicos ele ainda é um personagem interessante. Como produto da cultura pop foi o que mais conseguiu acompanhar as transformações do mundo, com muito mais identificação com a realidade; os vilões de suas histórias são calcados em patologias como distúrbios de personalidade. Batman combate a corrupção comum em qualquer grande cidade, onde vemos relações escusas entre policiais justiça, políticos. Uma caricatura da sociedade moderna”.

Carro chefe
O quadrinista Geraldo Borges, que já desenhou para a DC Comics os personagens Asa Noturna, Lanterna Verde, Mulher Maravilha, Aquaman, Superman e a turma da Liga da Justiça, lembra que o Batman apareceu em uma sequência que fez para a revista do Asa Noturna em 2012. “Foi uma experiência muito legal, pois a cena que fiz já tinha sido publicada na revista do Batman sob o ponto de vista dele; meu desafio era contar a mesma história do ponto de vista do Asa Noturna trabalhando com o personagem carro chefe da DC”.

Geraldo contou que antes do Batman e do Superman desenhista de quadrinhos só “estava acima de quem desenhava pornografia”. Atualmente Geraldo está envolvido em um outro projeto da DC Comics, com o Batman, mas disse que não pode falar nada ainda pois tudo é projeto. Além da DC ele também trabalha para (editora) Dark Horse na revista Ghost. Geraldo Borges mantém o Quadrinhos Estúdio, que oferece cursos regulares de desenho e quadrinhos.

Via TRIBUNA DO NORTE
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...