quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Uma grande CRISE se desenhando na DC pra 2015!

Com a New York Comic Con chegando, o anúncio de um crossover pode acontecer em breve, mas... O que será que está por vir?
Blood Moon
9 de setembro de 2009. Parecia um dia comum, mas não era. Foi quando a Warner anunciou a criação da DC Entertainment, nova subsidiária para cuidar da DC Comics e das criações da editora em outras mídias. O arreio apertou na editora e a necessidade de dar lucro aumentou. Coincidência – ou não – os gibis da DC viram um grande reboot no mesmo mês de setembro, mas em 2011. Em outubro de 2013, novo grande anúncio: a editora mudará a sede de Nova York para Burbank, Califórnia, ficando junto com o pessoal que produz séries e filmes. Sinergia passa a ser a palavra da vez.

E é aí que chegamos ao próximo grande ponto nessa história: mudanças não são fáceis. Até o momento, a DC tem se dado bem com elas. Tanto é que, no mês passado, a editora vendeu bem mais que a Marvel. Só que mudar de CASA é ainda pior. Os funcionários precisam levar suas famílias, se estabelecer nas novas residências, se acostumar com a nova rotina, treinar o pessoal que vai ficar no lugar da galera que não aceitou sair de NYC – e, no meio disso tudo, fica difícil TRABALHAR… E é aí que surge o evento BAND-AID.
Não, a Jonhson’s não tá patrocinando HQs, relaxa. O nome surgiu simplesmente porque ninguém sabe o que a DC está aprontando para o momento da mudança. O que se sabe é que os funcionários da editora vão estar tão ocupados empacotando e desempacotando coisas, que as séries semanais Futures End e Worlds End vão terminar no final de março, assim como Batman Eternal fará uma pausa da mesma época. Em seguida, já confirmado, teremos um evento “fill-in”, o band-aid, como vem sendo chamado por quem cobre o assunto.
E as informações oficiais param aí. Porém, é possível ainda ligar alguns pontos. Infinitos pontos, no caso. Em abril (aquele mês que vem depois de março, conhece?) a DC comemora os 30 anos de Crise nas Infinitas Terras, o primeiro grande crossover da editora e responsável por acabar com o Multiverso que existia antes, cheio de Terras alternativas e versões diferentes dos heróis, substituindo-o por um Universo DC único e coeso. Aquele foi o primeiro reboot.
Há alguns meses, a DC divulgou um teaser que ligava Futures End a algo chamado “Blood Moon”, ou “Lua de Sangue”. Talvez uma referência aos céus vermelhos vistos na Crise original. Teve gente que passou a acreditar que o evento de 2015 teria justamente esse nome, mas hoje sabemos que não é assim.

Como o futuro TERMINA?

Em Futures End, saga semanal que está rolando agora, sabemos que a Terra daqui 35 anos está devastada por uma guerra do Multiverso DC atual. Com isso, o Irmão-Olho lançou um grande plano e transformou os maiores heróis do planeta em ciborgues. Como última esperança, Bruce Wayne cria uma máquina do tempo e envia o Batman do Futuro (o mesmo, ou quase, do desenho animado) para o passado, quando tudo começou. Só que Bruce erra os cálculos e o jovem Homem-Morcego chega tarde, exatos 5 anos no futuro do atual UDC e quando o plano do Irmão-Olho já está em andamento. Muitos heróis já morreram ou morrem nas páginas da revista, sendo transformados em ciborgues do vilão. Em paralelo, a DC aproveitou setembro para lançar edições especiais, mostrando o possível futuro dos personagens. Foi aí que dois players importantes surgiram: um Gladiador Dourado de um universo que parece ser o pré-reboot de 2011 e um Brainiac que parece ter elementos da versão pré-Crise de 1985 (ou o que estava sendo usado na década passada), que está aparentemente coletando coisas e diversas versões do multiverso. Também ficou claro que versões antigas dos personagens, antes dos diversos reboots, ainda estão por aí.
Esse Brainiac já está agindo e querendo chegar ao Ponto de Fuga, lugar fora do fluxo cronal e que teve muita importância na saga Zero Hora, de 1994. E ele decreta: Blood Moon já está rolando. Não é algo para o ano que vem, é algo para agora – e esse nome é do local onde esse “super” Brainiac está juntando tudo aquilo que coleciona. As capas de Futures End #23 a #25, que se juntarão em uma grande arte, fazem todas as peças se juntarem.

Futures End
Multiplos Supermen, múltiplos Brianiac, versões antigas e novas de diversos heróis, múltiplas Terras… Qual é a diferença PRA ISSO AQUI? Crise nas Infinitas Terras
Pois é. Futures End parece ser a escalada para uma nova Crise nas Infinitas Terras (ou qualquer outro nome com “Crise”). Algo que já foi feito antes: em 2007, a DC lançou uma série semanal chamada Contagem Regressiva pra só depois avisar que aquilo era a Contagem Regressiva para a CRISE FINAL – que, pelo jeito, não será a Crise FINAL, né?
Não é à toa que Dan Didio, co-publisher da DC Comics, andou dando indiretas sobre fazer uma Crise MELHOR em breve

Por que Crise Band-Aid?

Pode parecer estranho jogar a comemoração dos 30 anos de uma saga tão importante como algo para preencher linguiça durante uma mudança de sede, mas não é tão esquisito, não. Com os funcionários (principalmente os editores, já que roteiristas e artistas trabalham basicamente de casa, espalhados pelas diversas partes do mundo) ocupados, fica difícil manter uma linha coesa nas publicações. Merdas poderiam acontecer nesse período de mudança.
É aí que entra a grande sacada de se usar uma Crise: no período, poderiam ter todas as revistas mensais NÃO estreladas pelos protagonistas atuais, mas versões de outros universos. Mais ainda: essas versões podem ser pré-reboot (seja o de 2011 ou o de 1985), já que Futures End está claramente servindo para reintroduzir esses caras. No período de mudança acompanharíamos o Superman com cueca vermelha por cima da calça, o Gladiador Dourado que viaja no tempo, o Besouro Azul do Bwa-ha-ha-ha, Wally West, Diana Troy e essa galera amada pelas antigas defendendo o Multiverso.
Não teria problemas em furar a cronologia atual porque simplesmente seria algo autocontido. De quebra, os leitores mais antigos ficariam felizes em reecontrar essa galera.
Sdds
“Ah, a DC vai fazer outro reboot então?”. Nope. Primeiro porque Os Novos 52, que é o nome editorial do reboot de 2011, vai muito bem, obrigado. Não que a editora vença a Casa das Ideias todos os meses, mas isso deu uma chacoalhada boa no mercado como um todo. De acordo com o Comichron, ganha-se 27% a mais de dinheiro hoje do que há 5 anos e o último trimestre foi o melhor da indústria desde meados dos anos 90, quando o mercado vivia uma bolha – que explodiu.
Além disso, a Casa do Superman já deixou claro que tem planos para depois do evento fill-in. O roteirista da Liga da Justiça, Geoff Johns, já anunciou que em 2015 teremos The Darkseid War, um arco que vai reunir não só o senhor de Apokolips como o Anti-Monitor (já visto no final de Vilania Eterna), o grande vilão da Crise original. Até por isso é o Brainiac, e não um desses dois, que surge como o grande vilão da provável Crise de 2015.
Aliás, uma Crise em março poderia até ser o gancho para o ataque do Anti-Monitor em seguida…
Isso tudo não quer dizer que o Universo pré-reboot vai ser rapidamente esquecido depois que tirarem o band-aid. Esse aí pode ser o gancho para a DC retomar algumas coisas daquela fase, talvez da mesma forma que a Marvel faz com o Universo Ultimate. Fica, ao menos, a torcida pra isso.
Pois é, o desejo de ver uma viagem de volta ao passado em 2015 é grande e diversos pontos estão aí para ser ligados, mas uma resposta definitiva só deve vir mesmo nos próximos dias, durante a NYCC…

Enquanto a Crise não chega…

Além disso tudo que foi dito até aqui, a DC aproveitou esta terça (7) para divulgar teaser do que ocorrerá ainda dentro de Futures End. Tem coisas interessantes, como uma luta entre Batmen e uma FUSÃO MENTAL entre o Homem-Morcego e o Coringa. o_O
FUTURES-END-TEASER-1
FUTURES-END-TEASER-2
FUTURES-END-TEASER-3
FUTURES-END-TEASER-4
FUTURES-END-TEASER-5
FUTURES-END-TEASER-6 
Via JUDÃO
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...