segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Marca de Fantasia: projeto em expansão

Por Henrique Magalhães - Marca de Fantasia
O projeto Marca de Fantasia não se restringe a seu programa editorial, embora essa produção seja o que lhe dá mais visibilidade. A rigor, a Marca de Fantasia é um projeto de extensão do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGC) da UFPB e uma atividade do Grupo Artesanal, coletivo paraibano que atua com diversas expressões artísticas. Desse modo, consideramos indissociáveis os lançamentos bibliográficos da Marca de Fantasia de outras atividades do PPGC.
Além das reuniões de estudo do grupo Imaginário!, os pesquisadores do PPGC produzem artigos sobre quadrinhos, humor, fanzine, game e Cultura Pop cuja finalidade é a participação em eventos da área de Comunicação e a publicação em revistas acadêmicas nacionais e internacionais, bem como na própria revista do grupo, a Imaginário!. É também atividade regular do grupo a realização do seminário Quadrinhos: reflexão e paixão, com palestra e lançamento de livro por um autor renomado, além de um concurso de História em Quadrinhos e exposição.
Revistas autorais pela Marca de Fantasia
No que tange à promoção e participação em eventos em 2012, registre-se que o trabalho do grupo foi prolífico, com a presença e envio de artigos por Paloma Diniz, Daslei Bandeira e Marcelo Soares ao Viñetas Serias, Segundo Congreso Internacional sobre Historietas y Humor Gráfico, ocorrido em Buenos Aires, Argentina, entre 26 e 29 de setembro. Em julho foi a vez do Encontro Nacional de Estudos sobre Quadrinhos, em Recife nos dias 28 e 29. O Encontro, organizado por Amaro Braga pela UFPE e UFAL, teve a presença de Elydio dos Santos Neto, Marcelo Soares, Alex de Souza, Alessandro Reinaldo e Henrique Magalhães.
O Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual da FAV/UFG, em Goiânia, realizou o Ciclo de debates do grupo de pesquisa Cria_Ciber nos dias 5 e 6 de junho. Nossa participação se deu com a comunicação “Fanzines no Brasil”, no dia 5 e “Edição independente de quadrinhos poético-filosóficos”, em 6 de junho. De 13 a 15 de junho ministramos a Oficina de outdoor artesanal, em Juazeiro do Norte, CE, a convite do Departamento de Teatro do Centro de Artes da Universidade Regional do Cariri/URCA.
Em Campina Grande, PB, ocorreu a 7ª. Semana de Extensão e sustentabilidade regional no século XXI – Tecendo diálogos e construindo novos cenários, promovida pela Universidade Estadual da Paraíba. Neste evento ministramos o minicurso “Fanzine”, no dia 23 de outubro. Também estivemos na II Feira de Livros e Quadrinhos de Natal – FLIQ, em Natal, promovida pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte; no dia 24 de outubro participamos da mesa redonda “Independência é vida”, sobre produção editorial; bem como de seção em homenagem a Moacy Cirne.
Em João Pessoa, realizou-se a Semana do Quadrinho Nacional 2012, em 31 de janeiro na Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes, organizada por Hausman Santos, com a participação de vários quadrinistas da terra em debates, oficinas e confecção de um painel coletivo com personagens das HQ. Nos dias 1 e 2 de dezembro aconteceu o Top! Top! Convenção Paraibana de Quadrinhos, numa ação conjunta da livraria Comic House e do Yazigi, com a participação do PPGC por meio da editora Marca de Fantasia. Foram realizados debates, palestras, mesas redondas, oficinas de roteiro e desenho, além de exibição de documentários, lançamentos de HQ e diálogo com os autores.
Livros sobre Artes, Linguística e Comunicação
Finalmente, o seminário Quadrinhos: reflexão e paixão, promovido pelo grupo Imaginário!, juntamente com o Consulado Francês no Rio de Janeiro e a Aliança Francesa de João Pessoa, trouxe o quadrinista francês Etienne Lécroart, que proferiu palestra no Mestrado em Comunicação, fez exposição de seus quadrinhos e autografou seu álbum lançado pela Marca de Fantasia, em associação com a editora l’Association, Consulado da França e Aliança Francesa. Em paralelo ao seminário, foi realizado o concurso de quadrinhos com temática homossexual, que contou com a participação de autores do país e do exterior. Os classificados serão publicados em álbum a ser lançado pela Marca de Fantasia.
Outro ponto de destaque foi a volta da tira Maria, de nossa autoria, que passou a ser publicada semanalmente pelo jornal A União. Maria, lançada em 1975, circulou nos diários paraibanos até o final da década de 1990. Sua retomada, juntamente com as tiras de Tônio, significa nova abertura da imprensa aos quadrinhos, criando a expectativa de contemplação dos novos autores locais.
No que se refere à produção editorial, a Marca de Fantasia lançou o número 6 da revista Artlectos e Pós-Humanos, de Edgar Franco, dedicada a seu universo de quadrinhos poéticos. A Maria Magazine foi retomada, depois de alguns anos, com o lançamento do número 3. Trata-se de uma revista humorística com a produção anual da personagem mais a participação de autores amadores do país.
Saíram os números 2 e 3 da revista eletrônica Imaginário!, que apresenta os trabalhos de pesquisa do grupo e que conta com a participação de Doutores e mestrandos de vários estados do país. Também lançou-se algumas edições da revista eletrônica O Corpo é Discurso, trabalho realizado pelo Labedisco, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em parceria com a Marca de Fantasia. Na série Corisco, de revistas de quadrinhos autorais, saiu Katita: maré-cheia... de sereia, de Anita Costa Prado & Ronaldo Mendes. Esta edição aposta no formato “bolso”, mais prático e de baixo custo.
Diversidade temática são o forte do projeto editorial
A produção de álbum e livros também se intensificou em 2012, com destaque para as edições eletrônicas. A editora abraçou o trabalho realizado pelo Namid sob coordenação do professor Marcos Nicolau, que agrupa estudantes do Curso de Comunicação em Mídias Digitais num projeto de edição de ebooks. Criou-se, então, a série Periscópio, para dar visibilidade aos trabalhos de conclusão de curso e às dissertações do Mestrado em Comunicação.
Pela série Periscópio foram lançados os livros No ar: as pequenas notáveis! a experiência de rádios livres no Brasil, 2a. ed., de Bertrand Lira; Reconfiguração das práticas midiáticas na cibercultura, de Marcos Nicolau; Educação criativa: ensinando a arte de aprender e aprendendo a arte de ensinar, de Cândida Maria Nobre de Almeida Moraes; Desígnios de signos: A relação entre poesia de vanguarda e publicidade impressa, 2a. ed., de Marcos Nicolau.
Saiu também pela Pirataria no ciberespaço: como a lógica da reprodutibilidade industrial disponibilizada pelas novas tecnologias afeta a própria indústria, de Cândida Maria Nobre de Almeida Moraes; As narrativas ficcionais da televisão japonesa, de Misaki Tanaka (Mii Saki), este como 2a. edição impressa; Voz e representação do real: montagem e construção na narrativa no documentário brasileiro contemporâneo, de Patrício Alves Miranda da Rocha.
Além disso, pela série Periscópio, tivemos Interatividade e perspectivas no telejornalismo da TV digital, de Patrício Alves Miranda da Rocha; Ciência e jornalismo: a construção do sentido do discurso jornalístico-científico no texto verbal e não-verbal de reportagens da revista Época, de Liliane de Andrade Calado; Mutações da cultura midiática radiofônica: a nova práxis na produção de conteúdos digitais, de Elton Bruno Calado Barbosa Pinheiro; Os blogs de mulheres e a construção de uma cibercultura feminina, de Ana Priscila Silva Clemente.
Ainda por essa série saíram Midiatização e relacionamento mercadológico na cibercultura: o estudo do caso Nike Plus, de Ana Cirne Paes de Barros; Documentário e modos de representação do real, de Bertrand Lira (org.); O ponto de vista do sistema: possibilidade de leitura da linguística geral de Ferdinand Saussure, de Monica Nóbrega; Dos contornos do corpo às formas do eu: a construção de subjetividades femininas na revista “sou+eu!”, de Patrícia Monteiro Cruz Mendes.
Por fim, a Periscópio contou com o lançamento de Coerência entre princípios e práticas na wikipedia losófona: uma análise semiótica, de Paulo Henrique Souto Maior Serrano; Forma e sentido: a arquitetônica dos anúncios na imprensa Paraibanas dos séculos XIX e XX, de Roseane Batista Feitosa Nicolau; e Videoclipe: o elogio da desarmonia, de Thiago Soares.
Outros livros lançados nas séries Quiosque e Veredas foram a segunda edição de História em Quadrinhos e Arquitetura, de Edgar Franco; Homens nordestinos em cena: Relações/tensões de masculinidades em As Velhas, de Lourdes Ramalho, de João Dantas Filho; Práticas discursivas contemporâneas 2: corpo, identidade e mídia, de JJ Domingos, Eliza Freitas, Emmanuele Monteiro, Lúcia Helena Medeiros, Regina Baracuhy, Tânia Pereira.
Por sugestão de Elydio dos Santos Neto, criou-se uma série exclusiva para os estudos sobre os quadrinhos poéticos, ou poético-filosóficos, de modo que abrigasse suas pesquisas na área, bem como as de outros autores. Pela série Quadrinhos poético-filosóficos foram lançados dois títulos Os quadrinhos poético-filosóficos de Edgar Franco: textos, HQs e entrevistas, por Elydio dos Santos Neto; e Edgar Franco e suas criaturas no Banquete de Platão, por Nadja Carvalho.
Fechando a produção editorial, tivemos os álbuns Os Frustrados, de Claire Bretécher, tradução de Henrique Magalhães, clássico dos quadrinhos franceses que ganhou segunda edição; O Baú do Irrthum, de Luciano Irrthum; e Contos & descontos, de Etienne Lécroart, tradução de Henrique Magalhães, em parceria com l’Association, Consulado da França no Rio de Janeiro e Aliança Francesa de João Pessoa.
Como visto, 2012 foi um ano de enorme avanço do projeto editorial da Marca de Fantasia, com a edição de revistas, álbuns e livros, realização de eventos, publicação em jornais e o lançamento de nova série editorial, a Quadrinhos poético-filosóficos, além da intensificação do trabalho de divulgação acadêmica, com a série Periscópio. Que em 2013 se repita essa performance.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...