segunda-feira, 22 de abril de 2013

Os 10 desenhistas de quadrinhos mais influentes de todos os tempos


Entre toda essa galera que rala feito louco em uma profissão que muita gente ainda acha que é brincadeira de criança, temos grande artistas que  revolucionam a maneira que nós estamos vendo o mundo ao nosso redor.

O Yahoo, lançou essa semana, uma listinha com os caras mais influentes do mercado de quadrinhos, eu fui lá e xupinhei pra vocês conferirem:
Joe Madureira, ou Joe Mad, como ele prefere ser chamado, é um dos grandes fenômenos dos anos 90. Sua arte extremamente estilizada misturando técnicas dos quadrinhos americanos com a agilidade e leveza do traço japonês pegou os leitores de X-Men de surpresa. Logo o desenhista foi alçado ao patamar de popstar na indústria e alavancou as vendas do supergrupo, principalmente na saga "A Era do Apocalipse". Depois disso ele migrou para o mundo dos games, mas retornou aos quadrinhos recentemente, na série Avenging Spider-Man.
QUEM INFLUENCIOU: Chris Bachalo, Alé Garza, Roger Cruz entre outros.


No início de sua carreira, Sienkiewicz era fortemente influenciado por Neal Adams, como ficou claro durante sua passagem pelo Cavaleiro da Lua da Marvel Comics no início da década de 80. Após sair do título, começou a incorporar elementos expressionistas em sua arte, além de pintura, colagem e muitas outras técnicas. Essa mudança começou a ficar clara no título dos Novos Mutantes e em outros materiais como Elektra: Assassina, Stray Toasters e Voodoo Child (a biografia de Jimi Hendrix).
Sienkiewicz não ficou preso somente aos quadrinhos: também ilustrou capas de discos, capas para a revista Spin, além de cards.
QUEM INFLUENCIOU: Dave McKean, Ashley Wood, Bem Templesmith entre outros.
Adams é o artista que foi a ponte entre os anos 80 e 90. Sua carreira se iniciou em 1985 quando desenhou a minissérie com a estreia do mutante Longshot. Logo depois ele desenhou X-Men, Excalibur, Hulk, entre outros personagens da Marvel. Na década de 90, criou a série Monkeyman and O'Brien além de desenhar gibis do Godzilla, uma grande paixão pessoal.
Sua arte é estilizada, porém altamente detalhista, o que faz com que ele não desenhe tanto, se envolvendo apenas em projetos fechados, criação de capas e pequenas contribuições.
QUEM INFLUENCIOU: J.Scott Campbell, Nick Bradshaw, Ed McGuinness entre outros.
7- Jim Lee
Se você viveu os anos 90 e leu HQ's nessa época com toda certeza um nome você deve lembrar: Jim Lee. O artista sul coreano começou sua carreira nos gibis da Tropa Alfa e do Justiceiro e logo chamou atenção com seu estilo detalhista, cheio de hachuras, mulheres sensuais e uma arte cheia de ação. O passo seguinte foi ir para o gibi "Uncanny X-Men" onde angariou mais e mais fãs. Em 1991, Lee lançou o título "X-Men" ao lado de Chris Claremont que, logo em sua edição de estreia, se tornou ogibi mais vendido de todos os tempos, somando mais de 8 milhões de cópias vendidas.
No ano seguinte ele foi um dos fundadores da Image Comics, e criou o grupo WildC.A.T.s. Em 1998 ele vendeu a Wildstorm para a DC Comics e na década de 2000 desenhou Superman, Batman e outros gibis. Em 2011 foi um dos responsáveis pelo reboot da DC e atualmente está envolvido no lançamento de Superman: Unchained um dos lançamentos mais esperados de 2013
QUEM INFLUENCIOU: Jae Lee, Brandon Peterson, Andy Kubert, entre outros.
Pérez começou sua carreira na curta, porém influente HQ "Deadly Hands of Kung Fu", partindo em seguida para a Marvel Comics onde marcou época na série dos Vingadores e Quarteto Fantástico. Na década de 80 foi para DC Comics onde desenhou a Liga da Justiça e também um dos seus trabalhos mais marcantes: os Novos Titãs. Com as histórias do supergrupo, Pérez pôde mostrar todo o seu talento pelo qual ficou conhecido: desenhos hiperdetalhados, layouts e splash pages espetaculares além de expressões faciais perfeitas.
O desenhista também foi um dos responsáveis pela aclamada Crise nas Infinitas Terras, além da reformulação da Mulher Maravilha após a maxissérie que reformulou a DC. Entre as décadas de 80-90 ficou alternando entre Marvel, DC e CrossGen. Pérez declarou que não tem um personagem favorito, e por isso prefere desenhar HQs de grupos, sendo a escolha natural (e perfeita) para desenhar o aguardado e esperado crossover Liga da Justiça vs Vingadores, lançado em 2004.
QUEM INFLUENCIOU: Ivan Reis, Phil Jimenez, Ethan Van Sciver entre outros.
Neal Adams é possivelmente o desenhista que introduziu o realismo no gibi dos supers. O artista mostrava personagens com uma musculatura poderosa, expressões faciais perfeitas, além de utilizar layouts dinâmicos e provocativos com uma arte nunca antes vista. Seus trabalhos mais conhecidos são Batman e Lanterna Verde/Arqueiro Verde ao lado do seu parceiro de longa Denny O'Neil.
No Batman, Adams ajudou a trazer de volta o caráter sombrio e violento do personagem, algo que havia se perdido graças ao seriado colorido e espalhafatoso dos anos 60. Já no gibi da dupla verde, o desenhista ajudou a mostrar um lado da América que não aparecia com tanta frequência nos gibis: o racismo, o uso de drogas, os problemas sociais entre outros.
Adams também é um grande ativista no meio da indústria das HQs, inclusive ajudando artistas que enfrentam problemas pessoais.
QUEM INFLUENCIOU: Frank Miller, Mike Deodato, Brent Anderson entre outros.
"O pai dos quadrinhos undergrounds" e "o padrinho dos quadrinhos alternativos" são alguns dos apelidos que Robert Crumb recebeu ao longo do tempo. Crumb tem um estilo detalhista, mas ao mesmo tempo exagerado, onde as mulheres são grandes e voluptuosas e os homens são franzinos ou exageradamente enormes.
Seu trabalho na Zap Comix influenciou toda uma geração, além de atrair a admiração e devoção dos hippies e junkies da década de 60/70. Lá ele criou o Mr.Natural, Fritz, the Cat e outros personagens. Depois o autor partiu para séries autobiográficas em que o tema central era a fascinação que possuía por mulheres grandes.
Crumb é um apaixonado por blues, possuindo uma vasta coleção de discos do ritmo.
QUEM INFLUENCIOU: Alan Moore, Chris Ware, Daniel Clowes, Jaime Hernandez entre outros.

Um homem que tem o apelido de "O Rei" sempre o recebe com os devidos méritos...
O desenhista americano começou a despontar nos comics nos anos 40, no gibi do Capitão América. Mas foi nos anos 60 que Kirby atingiu o estrelato ajudando a criar praticamente todo o universo Marvel que conhecemos hoje. Só pra você ter noção, Kirby criou: Thor, Surfista Prateado, X-Men, Vingadores, Quarteto Fantástico e MUITOS outros! Isso sem falar na criação do Quarto Mundo e do OMAC na DC Comics.
Kirby ficou famoso por desenhar cenários incrivelmente detalhistas, máquinas realistas, além de cenas de ação realmente dinâmicas e explosivas. Parece que o traço está prestes a sair da página!
O homem que praticamente inventou o gibi de super-heróis e criou 90% da Marvel. Todo respeito ao Rei.
QUEM INFLUENCIOU: Erik Larsen, Steve Rude, Jim Steranko entre muitos outros.

Tezuka é o responsável pela criação dos mangás e, por consequências, dos animes. Ele é o Deus dos Mangás e essa alcunha não é nem um pouco exagerada.
Fortemente influenciado por Walt Disney, Tezuka criou personagens com olhos grandes e caricatos, além de cenários detalhistas que passavam uma sensação de realismo inédita para a época. Também foi o pioneiro no uso de técnicas que eram vistas em animações como, por exemplo, o fundo de cena distorcido quando havia cenas de ação.
O artista possuía uma capacidade de criar histórias infantis (Astro Boy), adultas (Budam Adolf), histórias sobre samurais (Dororo) entre outros temas com extrema facilidade e com incrível brilhantismo.
Não a toa possui um prêmio que carrega o seu nome: o Tezuka Osamu Cultural Prize, um dos maiores prêmios para autores nipônicos, se não o maior.
QUEM INFLUENCIOU: O Japão inteiro. Mais o resto do mundo. 
-
Escritor. Cartunista. Ilustrador. Gênio. Esse é Will Eisner.
Na década de 40 era difícil exigir personagens críveis e uma arte realista. Afinal de contas, histórias em quadrinhos sequer eram levadas a sério, sendo considerado apenas como uma diversão, um entretenimento simples. Mesmo assim Eisner, já naquela época, exibia essas qualidades com a sua criação máxima, o Spirit. O personagem em si já era algo inédito, pois não era um super-herói em sua essência, mas um detetive, um combatente do crime e acima de tudo, um humano. Um humano que quando tomava um tiro não se recuperava magicamente; quando caía, sentia dor.
Eisner misturava realismo com cartoon, transformava palavras em arte. Um simples barulho de tiro poderia virar uma página dupla essencial para a trama. Nas histórias de Spirit, o nome do personagem na página principal virava um fator essencial na construção da história.
O autor ainda foi o responsável pela criação do termo "graphic novel", no qual o primeiro trabalho foi "Um Contrato com Deus" uma história poderosa, em que o autor atingiu um patamar acima de todos. Will Eisner é sem dúvida alguma o desenhista (e possivelmente o autor) mais influente de todos os tempos.
QUEM INFLUENCIOU: Todos.
Fonte: Yahoo.  Por 







Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...