quinta-feira, 15 de novembro de 2012

FBN abre convocatória para tradução de obras brasileiras de literatura infantojuvenil e histórias em quadrinhos

Por Natania Nogueira
Difundir a literatura infantojuvenil e a produção de histórias em quadrinhos (HQs) brasileiras no exterior. Este é o objetivo da nova convocatória da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), que apoiará editoras estrangeiras que queiram traduzir, publicar e distribuir, em seus países, obras de autores brasileiros nestes segmentos, já publicadas no Brasil. O chamado se insere no âmbito do Programa de Apoio à Tradução e à Publicação de Autores Brasileiros no Exterior, que já patrocinou a tradução de 164 livros de julho de 2011 a outubro de 2012.
O apoio concedido às editoras será de no máximo US$8 mil e poderá contemplar tanto os custos de tradução quanto os custos de edição dos projetos aprovados. As obras apoiadas deverão ser publicadas até 1º de março de 2014. Tanto os projetos enviados para avaliação, quanto os projetos aprovados deverão respeitar as normas e os critérios estabelecidos no edital do Programa de Apoio à Tradução e à Publicação de Autores Brasileiros no Exterior, disponível no portal da Biblioteca Nacional: www.bn.br.
Estimular a publicação internacional de autores brasileiros de literatura infantil e juvenil é uma das prioridades da FBN uma vez que, em 2014, o Brasil será homenageado na Feira do Livro para Crianças de Bolonha, a mais importante neste setor. Uma das iniciativas para a divulgação destes autores no exterior é a 3ª edição da Revista Machado – Literatura Brasileira em Tradução, inteiramente dedicada à literatura pra crianças e jovens. A revista, parceria da FBN com o Itamaraty, Itaú Cultural e Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, será lançada na Feira de Bolonha, em março de 2014.
 
Os quadrinhos brasileiros no exterior
 
Durante muito tempo, sempre que se falava sobre quadrinhos brasileiros publicados no exterior, o único autor que conseguíamos encontrar era Maurício de Souza e sua Turma da Mônica. No entanto, nos últimos anos, jovens autores brasileiros de graphic novels como Fábio Moon, Gabriel Bá, Rafael Grampá, Gustavo Duarte, Rafael Coutinho, Daniel Galera e Lourenço Mutarelli estão começando a se tornar famosos em países como os EUA, a França e a Itália.
Um bom exemplo dessa mudança é a "Daytripper", uma novela gráfica (graphic novel), de Fábio Moon e Gabriel Bá, publicada, em 2011, pela Panini Books. Embora ambos os autores sejam brasileiros, o romance foi publicado pela primeira vez nos EUA pela Vertigo. "O editor americano, o Bob Schreck, conhecia nossos trabalhos publicados aqui no Brasil e queria uma proposta de uma história nova nossa. Mandamos várias ideias e a que ele gostou mais e que nós continuamos desenvolvendo acabou virando a ‘Daytripper’", explica Moon. A novela acabou ganhando o Eisner e o Harvey Awards de 2012, já foi publicada na França (Urban Comics), Espanha e Itália (Planeta DeAgostini) e será lançada em breve na Polónia (Mucha Comics) e Dinamarca (G Flory).
Outro bom exemplo é "Cachalote", de Daniel Galera e Rafael Coutinho. Publicada no Brasil em 2010, pela Companhia das Letras, ela será lançada no próximo mês na França pela Cambourakis, com o financiamento do Programa de Apoio à Tradução da FBN. "O fato de os dois serem brasileiros já era interessante, porque temos poucas novelas gráficas brasileiras na França e estamos sempre tentando encontrar talentos novos e originais", afirma o editor francês do livro, Frédéric Cambourakis. "Além disso, o tradutor, Dominique Nedellec, com quem já trabalhamos várias vezes, leu e gostou do livro. Era obviamente um livro original, com uma estrutura inteligente e atmosfera incrível. Ele se encaixava perfeitamente na nossa linha editorial".
PUBLICADO NO JORNAL DIA A DIA
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...