terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Os Companheiros do Crepúsculo

Avenida São João, logo depois do cruzamento com a Avenida Ipiranga do lado esquerdo, entre uma loja e um salão de barbeiro havia um lugar onde encontrava os amigos que trabalhavam em um escritório de engenharia no Edifício Andraus. Isso foi nos 1980 e 1990 e nessa época para conseguir HQs francesas ou italianas era preciso ter um bom saldo bancário e frequentar a Livraria Francesa na Barão de Itapetininga, a Book Centre na rua Gabus Mendes ou as bancas de jornais na praça da república perto do Edifício Itália que vendiam as revistas Linus e Alter Linus.

Todo sábado, antes do cinema, do teatro ou da cerveja, a patota se reunia na livraria Muito Prazer, onde você podia comprar quadrinhos do mundo inteiro, além de raros gibis antigos. A Muito Prazer, além dos álbuns franceses e italianos, vendia também edições portuguesas, e foi numa coleção portuguesa que era vendida em revistas quinzenais ou nas edições encadernadas, que li pela primeira e única vez uma HQ de François Bourgeon, Os Passageiros do Vento, que saiu no “Jornal da BD” (BD = banda desenhada).
Lembro pouco da história, quase toda passada no mar. O que ficou gravado foram os desenhos das embarcações do Século XVIII e a personagem Isa, uma sensual morena. Dessa época (anos 80) é o texto de Cláudio Moliterni sobre realismo e fantasia em língua francesa:“Bourgeon sempre tão tranquilo se inclina para a reconstituição histórica do século 18, se distanciando por opção, da novela de aventuras e compondo com acerto o visual e os personagens… dando mostras de seu talento como historiador e arqueólogo.”
Não há melhor definição para o trabalhado desse autor francês que se tornou referência para a sua geração. E agora nós brasileiros temos a sorte de descobrir esse magnífico trabalho graças à competência da Editora Nemo. Agora já pode ser encontrada na maioria das livrarias (e não só naquelas especializadas em HQs, muito menos em pontos chaves no centro da capital), uma das três grandes sagas de Bourgeon, Os Companheiros do Crepúsculo.
A obra que, originalmente é do final da década de 1980, o autor continua o mesmo e segue a risca as características que o fizeram ser destaque entre tantos bons quadrinhistas europeus: a mesma atenção minuciosa, com detalhes, na reconstituição do vestuário, dos castelos, aldeias e costumes da época medieval.
Em Os Companheiros do Crepúsculo, ele conta a história de três personagens durante a Guerra dos 100 anos. Mariotte é considerada uma bruxa e por isso é maltratada pelos aldeões, quando um grupo de soldados passa por ela e pergunta uma aldeia onde possam se divertir, a garota não sente nenhum remorso e indica a direção dos seus algozes. Entretanto, sua avó pede que ela vá até a aldeia contar do perigo, mas é tarde demais e apenas há um sobrevivente, Anicet, um dos cruéis garotos que a atormentavam.
Para completar o trio, na aldeia destruída, um estranho e misterioso cavaleiro de rosto desfigurado. Os três seguirão numa alucinante aventura entre camponeses,duendes e outras figuras estranhas. É uma mistura muito bem feita de história com ficção, adicionando misticismo e um toque de erotismo, que relata um um período de batalhas sangrentas.
Na internet vi alguns leitores reclamarem do valor do álbum. Injusto. A editora Nemo traz ao Brasil autores nunca publicados aqui e com uma qualidade gráfica extraordinária. Nesse caso, a edição brasileira de Os Companheiros do Crepúsculo reúne os três volumes da saga no formato original 24 x 32 com, com 240 páginas. A tradução mais uma vez é de Fernando Scheibe (o que até agora não decepcionou em nenhum álbum da Nemo) e o preço sugerido é R$ 94.
Vamos analisar pelo prisma que antes não tínhamos a opção dessas obras traduzidas, e que a editora vem sim realizando um bom trabalho. Vida longa a editora Nemo e com mais alguns álbuns de François Bourgeon editados entre nós. Particularmente estou esperando Os Passageiros do Vento e A Saga Cyann, as outras duas obras primas do autor que citei no começo do texto.
Aguardando suas novidades Nemo!
Os Companheiros do Crepúsculo
Título original: Les Compagnons du Crépuscule
Editora Nemo
Autor: François Bourgeon
Tradução: Fernando Scheibe
Capa dura
24 x 32 cm
240 páginas
R$ 94,00
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...