terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

AXÉ, ACARAJÉ E "QUADRINHOS"!

No último dia 30 de janeiro estivemos a convite do Marko Ajdaric (Neorama dos Quadrinhos -ao lado) participando da comemoração do Dia do Quadrinho Nacional em Salvador (confira a programação) que rolou nas dependências da Biblioteca Central da UFBA (Ú-fiba)
Foi uma experiência bastante enriquecedora e ímpar, pois além da oporunidade de levarmos o nosso material para um novo público, ainda tivemos contato com a nata dos quadrinhos locais. Já conhecia dois talentos de Salvador, mas que já não residem por lá: o Flávio Luiz e o Gilmar. 
E logo de cara, além de realizar uma das minhas "100 metas em vida", conhecer a primeira capital do país, no plano artísitco, pude conhecer e conversar por um bom tempo com o Mestre Cedraz da Turma do Xaxado. Outro sonho realizado.
Na verdade, descobri que a arte sequencial bahiana é alicerçada por "Mestres". Alguns já passaram para o outro plano, mas o Valtério "o cartunista de barro" ainda estava lá pra contar histórias e pra fazê-las acontecer. 

 
Abaixo o simpático Galaxy Trio soteropolitano (Alves, Thiago e Joe): consumidores, aspirantes e transpirantes a quadrinistas nacionais. Talentos promissores para as futuras gerações da HQB ("B" duplo: bahiano e brasileiro).
O feedback do público foi bastante estimulante, o que já nos assegura no mínimo mais um retorno a capital de todos os santos. Contatos com artistas foram feitos e parcerias podem vir a surgir. Além disso foi muito bom ver (corpo a corpo) e rever amigos dos quadrinhos, como a turma do Quadro a Quadro, capitaneada pelo Marcello Fontana, com quem fizemos uma parceria durante o FIQ (2011); o Marcos "Terra de Lucas" Franco e seu leal parceiro de "bahianoventuras" o Hélcio Rogério; o grande Marko "Neorama" Ajdaric que deu o máximo de si para fazer acontecer 
essa 2ª edição do evento; e uma pá de gente maneira que eu sequer sonhara em conhecer, como o Val Oliveira (ou será Oliver - a esquerda); o núcelo que está convertendo quadrinhos para o universo dos games, como o Pedro (Ibérico) e o Danilo Dias (a direita);  enfim... ficou faltando aquele abraço especial nos cumpadres de um passado não tão tão distante: o Hector Salas e o Sidney Carvalho. Mas oportunidades futuras não faltarão.
De quebra trouxemos na mochila revistas de cortesia pra galera potiguar e ainda trocamos edições nossas por exemplares do Área 71
A banda acabou não tocando, mas o swing energético e temperado do povo bahiano fizeram a diferença e eu particularmente nem senti falta. Exposição de quadrinhos nacionais, exibição de vídeos documentários, homenagens a artistas da terra, venda de revistas e contato direto com os artistas do traço, tudo isso e mais um pouquinho, foi o que a galera universitária pode curtir no evento soteropolitano de quadrinhos nacionais. 
Acima a dupla dinâmica responsável pelo belíssimo álbum, "Terra de Lucas...": Hélcio e Marcos Franco. E abaixo, eu no meio das feras! Só alegria!
O Ângelo Agostini só não foi atrás do trio elétrico por razões óbvias, mas a homenagem foi pra lá de porreta. E que venha 2014, "meu rei".
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...