segunda-feira, 31 de março de 2014

Graphic MSP – A primeira geração

Por Denílson Reis - IHQ
O 1º Ciclo da série Graphic MSP, onde autores de quadrinhos independentes brasileiros fazem uma releitura dos personagens da Turma da Mônica de Maurício de Sousa, encerrou com quatro publicações: “Astronauta – Magnetar”, de Danilo Beyruth e Cris Peter; “Turma da Mônica – Laços”, de Vitor e Lu Cafaggi; “Chico Bento – Pavor Espaciar”, de Gustavo Duarte; e “Piteco – Ingá”, de Shiko.
Todas os títulos foram publicados pela Panini Comics, editora que detém os direitos de publicação dos personagens de Maurício, e vale deixar registrado também que a mesma publicou os títulos da série foram do Brasil.
Meu primeiro contato com a Turma da Mônica se deu na infância com gibis que a mãe de um colega trazia da casa onde trabalhava como doméstica. Os gibis circulavam pelas mãos da gurizada da vila. Na pré-adolescência li alguns gibis de super-heróis (Homem-Aranha e Batman), mas só me tornei um leitor e colecionador no final da adolescência quando comecei a fazer fanzines e ler muito quadrinho brasileiro.
A série Graphic MSP me colocou novamente em contato com os personagens de Maurício de Sousa e de uma forma bacana, ou seja, com autores de quadrinhos independentes que vinha acompanhando em publicações fantásticas por eles mesmos publicadas. Isto se deve ao editor da Maurício de Sousa Produções, Sidney Gusman, ter acreditado no potencial destes artistas, todos com muita experiência e trabalhos ótimos publicados, como falei, de forma independente.
Danilo Beyruth, em “Magnetar”, que teve cores da gaúcha Cris Peter, mostra o Astronauta “náufrago” no espaço lutando pela sua sanidade mental e pela vida numa HQ de Ficção-científica digna de revistas como a Heavy Metal.
Os irmãos Cafaggi, em “Laços” levam os personagens da Turma da Mônica a uma aventura repleta de emoção e perigos, como num filme clássico das matinês de domingo.
Gustavo Duarte em “Pavor Espaciar” mostra Chico Bento e seus amigos abduzidos por alienígenas com muitas referências a cultura pop.
Por fim, o paraibano Shiko, em “Ingá” mostra uma aventura do Piteco que vai resgatar Thuga, raptada pelos Homens-tigres numa HQ que lembra clássicos da aventura como Tarzan ou Conan, em páginas pintadas em aquarela.
Cada artista, a seu modo, mostrou o quanto são ótimos em produzir HQs, além dos personagens de Maurício de Sousa ter a capacidade de serem reinterpretados de forma tão diferente e fantástica. As publicações da Graphic MSP são obras fundamentais do quadrinho brasileiro.
E, é claro, não podemos deixar de comentar que a segunda geração da coleção Graphic MSP já está a caminho e recentemente foi divulgado os dois títulos que serão publicados em 2014, Bidu, de Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho, e Astronauta 2, de Danilo Beyruth, com cores de Cris Peter.
Agora é esperar…
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...