sábado, 1 de março de 2014

Verdugo o Inacreditável


O mais recente lançamento da Júpiter II é bastante peculiar, por apresentar obra de artista peculiar. Conheci Verdugo, O Inacreditável, da jovem artista Verônica de Souza Saiki, na segunda metade da década passada, quando trocamos cartas e recebi fanzines do personagem, um dedicado ativista ecológico, num trabalho dedicado principalmente aos mais jovens e jovenzinhos. Após alguns anos sem nos contatarmos, eis que faço a Verônica um convite para ter o Verdugo publicado pela Júpiter II.
Reencontrei-me com o personagem na edição independente dos quadrinhistas da região centro-oeste, o Qico(vocês podem ler a respeito aqui:http://www.jupiter2hq.blogspot.com.br/2013/06/quadrinistas-independentes-do-centro.html).
E qual não foi minha surpresa ao me deparar com um Verdugo muito diferente daquele que eu conheci, agora com dilemas existenciais, em narrativa lisérgica. De qualquer modo, mantive o convite que havia feito a Verônica, pois o talento é o que conta, e isto a Verônica tem de sobra! Trocando e-mails com a autora, eis que ela me escreve: Pois é, acho que com o meu amadurecimento acabei amadurecendo o trabalho e o personagem foi junto... tomara que agrade aos leitores né?
 Bem, eu, particularmente, adorei o Verdugo como está agora! E certamente outros leitores vão gostar também, sejam aqueles que já conhecem o trabalho da Verônica, sejam aqueles que vão conhecê-lo pela primeira vez nesta edição de 24 páginas da Júpiter II, onde o embate entre Verdugo e seu rival Silueta representa a luta simbólica entre arte boa e ruim, entre grafite e pichação – com desfecho memorável, que evidentemente não vou contar aqui, pra vocês. Só mesmo lendo o gibi. (Texto: José Salles)  PS: aproveitem e conheçam mais a respeito do trabalho de Verônica em 
www.verdugooinacreditavel.blogspot.com.br.
Via: EMT
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...